Projeto Bioeconomia

PANORAMA DO SETOR

A produção e o consumo de produtos orgânicos têm crescido sobremaneira no Brasil e no mundo, hoje um mercado de 3 bilhões reais/ ano. Embora promissor esse setor ainda enfrenta dificuldade, relacionadas principalmente ao volume e a frequência na oferta, o que impacta diretamente no fator crucial para conquista de novos adeptos: o preço.  Em pesquisa recente realizada pelo Sebrae junto 1.142 atores da cadeia produtiva de orgânicos no Brasil, além do preço citado por 62% dos entrevistados, a falta de variedade e a irregularidade de entrega foram os principais gargalos observados pelos consumidores e compradores.

Embora a oferta tenha aumentado ao longo dos anos, em função de novos investimentos e aumento de area, ainda é difícil para os consumidores de alimentos orgânicos encontrarem tudo o que gostariam de comprar nos mercados locais e nas feiras livres.  A maioria dos produtos hortifrutigranjeiros disponíveis, ainda vem de lavouras, hortas e granjas que produzem pelos métodos convencionais industriais, que privilegiam o uso de adubos químicos, agrotóxicos, rações quimicamente suplementadas, além do uso de antibióticos, hormônios e até anabolizantes animais.

A dificuldade de acesso a insumos adequados e abertura dos mercados para produtos orgânicos, em parte por falta de informação e de conhecimento dos compradores, são entraves para que produtores aproveitem melhor o imenso potencial do mercado de produtos orgânicos.  Em Mato Grosso essas dificuldades se somam ainda a barreiras criadas pela falta de assistência técnica e resistência de produtores convencionais, impulsionados pelo o constante incentivo ao cultivo de commodities.   Em contra-ataque a esse cenário, o Sebrae e parceiros tem investido em campanhas de sensibilização direcionadas aos consumidores, como estratégia de impulsão e fomento ao consumo, a partir da valorização da produção agrícola familiar. 

Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), hoje em Mato Grosso constam no cadastro nacional de produtores orgânicos 238 unidades produtivas certificadas, sendo a maior parte dessas áreas ligadas a agricultura familiar ou a associações indígenas, com produção primaria ou extrativista.  Na ausência de unidades de beneficiamento ou agroindústrias, a comercialização in natura ainda é a única opção para a maioria dos produtores, que não possuem logística ou infraestrutura, limitando a expansão de mercado para outras regiões e cidades.  Nesse cenário o Sebrae,  tem trabalhado junto aos produtores não apenas na melhoria da qualidade e produtividade, mas também na diversificação do mix e em estratégias de comercialização direta, fomentando feiras e o relacionamento com empresas de alimentação fora do lar.

PÚBLICO ALVO

Pequenos negócios, entre produtores, beneficiadores e comercializadoras de produtos orgânicos e agroecológicos, localizados nas regiões do Vale do Rio Cuiabá e Vale do Rio São Lourenço, prioritariamente nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Poconé, Chapada dos Guimarães e Campo Verde no estado de Mato Grosso.  

Parte desses produtores matem uma relação antiga com o SEBRAE, com atendimentos por projetos anteriores tanto na produção agroecológica como convencional,  um dos motivos de seleção do território de atuação.  Como estratégia de fomento e fortalecimento dessa parceria e fidelização, o projeto tem promovido reuniões para construção coletiva das ações e cronogramas de trabalho, além de buscar parcerias com as prefeituras municipais para redução dos custos de participação ao produtor e empresário.

Para os empresários do segmento de alimentação e beneficiamento, além de inserir nas ações sua carteira de fornecedores para melhoria da qualidade dos produtos entregues e no atendimento as demandas,  também  acontecerão em parceria com o projeto de Food Experience, reforçando os ganhos aos empresários.

 

RESULTADOS ALCANÇADOS

As grandes realizações do projeto nesse primeiro ano foram ligadas as ações de inovação e mercado, principalmente com o aumento do número de empreendimentos certificados e da demanda por produtos orgânicos e/ou ecologicamente corretos.

Esses resultados somados a outras ações desenvolvidas na região além de fortalecerem a imagem do projeto SEBRAEBio despertaram o interesse de empreendedores para as oportunidades relacionadas a comercialização e distribuição de produtos orgânicos, dentro do conceito “farm to table”, reduzindo os intermediários entre o produtor e o consumidor fazendo com que os produtos cheguem à mesa do consumidor em um prazo reduzido e a custos enxutos. No segundo semestre observou o surgimento de novos empreendimentos ofertantes de cesta domiciliar e delivery de hortifrutis, entre eles Verdullê na Cidade de Várzea Grande e Mix Hortifruti em Cuiabá, ambos com aplicativos de compra. A proposta do projeto SEBRAEBio para 2018 é intensificar a aproximação entre os produtores e as empresas comercializadoras.

Pelo crescimento desse conceito, as feiras também foram trabalhadas por meio de associações e de produtores independentes. Em Chapada dos Guimaraes, as primeiras ações iniciadas no segundo trimestre foram focadas na organização legal da Associação, sendo a partir dessa criada uma trilha de desenvolvimento para produtores e feirantes, com a proposta de melhoria dos serviços e produtos ofertados. Esse trabalho tem ainda como objetivo o fortalecimento da imagem e origem dos produtos de Chapada.

Trabalho semelhante foi desenvolvido em parceria com a Prefeitura de Nossa Senhora do Livramento, com ações para a criação e consolidação da Feira de Agricultura Familiar, Gastronomia e Artes, uma ação integrada entre os projetos de Piscicultura e Leite do SEBRAE MT.

Em 2017 foram realizadas 08 edições, a partir do aniversário da cidade em maio, segundo pesquisa realizada pelo SEBRAE durante os eventos mais de 44% oriundos de Cuiabá, Poconé e Várzea Grande. A pesquisa apontou ainda que 63% dos entrevistados retornam mensalmente e 89% realizam compras em todas as visitas e 100% avaliou positivamente a relevância da feira para o desenvolvimento da cidade, sendo estes com conceitos muito bom e bom.

Esses resultados apontam além do aumento do consumo e a valorização dos produtos locais, a profissionalização de produtores e empreendedores expositores da feira, considerando que para 83% dos visitantes a qualidade dos produtos comercializados apresentou crescente melhora.

Em Várzea Grande a parceria com a beneficiadora de produtos orgânicos, Horta Terra Estrela, consolidou o calendário de feiras mensais em 2017, com produtores e empreendedores do setor de cosméticos e alimentação natural, restaurantes vegetarianos e veganos. Essa empresa, apoiou ainda o processo de certificação de pequenos produtores de Poconé, estabelecendo também uma parceria para aquisição dos produtos orgânicos certificados.

Em parceria do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), no mês de maio foram realizadas diversas ações de promoção e incentivo ao consumo de orgânicos, dentro da Semana dos Alimentos Orgânicos, com destaque para Feira de Pequenos Produtores e o Ciclo de Palestras Técnicas. Durante o Ciclos 2017 - Congresso Internacional de Sustentabilidade, o projeto esteve presente com palestras e apresentação de cases no Lounge de Bioeconomia.

Em uma ação de transversalidade com os projetos Food Experience e Brasil Central de Turismo e Economia Criativa, o Projeto de Bioeconomia promoveu mostra de produtos de Mato Grosso em São Paulo de 07 a 15 de outubro, durante Casa Itinerante Brasil Central, e em Cuiabá de 09 a 11 de outubro com o espaço Empório do Produtor, durante o evento Pantanal Cozinha Brasil. Ambos eventos além da divulgação do potencial de mato grosso, houve retorno aos produtores com vendas e contatos comerciais. Para participação nesses eventos, foram realizadas consultorias tanto comercial quanto de sustentabilidade.

Ainda com relação a inovação, o projeto tem apoiado a primeira startup mato-grossense ligada ao comércio de orgânicos. A Sociedade Orgânica com apenas 1 ano de vida já atende uma carteira de 150 clientes em Cuiabá e Várzea Grande, com entregas semanais de cestas de hortifruti orgânico. Com o apoio do projeto a empresa além das capacitações e consultorias financeiras, tem desenvolvido um aplicativo para vendas, entrando com tudo no e-commerce. A partir dessa parceria foi possível certificar em 2017 a produção orgânica dos Indios Chiquitanos, ampliando a oferta de hortifrutis orgânicos.

GESTÃO ENQUANTO FATOR DE TRANSFORMAÇÃO

Com o aumento na demanda de produtos orgânicos e o surgimento de novos canais de comercialização, os produtores foram orientados e acompanhados de perto no processo de gestão do empreendimento, principalmente na relação destes com seus fornecedores e clientes.

Em uma ação conjunta a ACS – Associação de Colaboradores do SEBRAE, o projeto proporcionou a aproximação de produtores orgânicos aos consumidores, realizando entregas semanais de alimentos orgânicos aos associados, com preços acessíveis e produtos frescos direto do produtor. Embora seja uma ação interna, por serem os associados formadores de opinião junto a outros grupo, surgiram inúmeras demandas para o desenvolvimento de trabalho similar em empresas de Cuiabá. Para 2018 , a proposta e intensificar essa aproximação produtor – consumidor, sendo necessária a continuidade dos trabalhos de gestão da produção e qualidade.

Vale destacar que todas as ações de mercado tiveram grande impacto no processo de transformação tanto de consumidores como de fornecedores, haja vista a necessidade de adequação e melhoria dos produtos ofertados (qualidade,  frequência e variedade).

TECNOLOGIA: MELHORIAS DE PROCESSOS E PRODUTOS

Por meio das consultorias tecnológicas, os produtores foram orientados a trabalhar com o planejamento da produção, ação extremamente importante para a ampliação e manutenção dos canais de comercialização, pela possibilidade de garantia de fornecimento com volume x padrão x frequência.

Em 2017 foram certificadas 20 unidades produtivas, número superior a outros projetos desenvolvidos anteriormente. Entre elas, uma empresa de Fertilizantes Naturais (Rockall), uma indústria de hortaliças minimamente processada (Sabor da Terra) e uma startup comercializadora de orgânicos (Cesta Orgânica), que tem como proposta investir numa linha de produtos orgânicos para entrega em supermercados e restaurantes de Cuiabá e região. Espera se para 2018 um número superior, atendendo não apenas a Baixada Cuiabana, mas o estado de Mato Grosso.

RESULTADOS PARA O PÚBLICO-ALVO ATENDIDO

Esse projeto tem como proposta o trabalho com 150 pequenos negócios entre produtores, beneficiadores e comercializadoras de produtos orgânicos e agroecológicos, localizados nas regiões do Vale do Rio Cuiabá e Vale do Rio São Lourenço, prioritariamente nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Poconé, Chapada dos Guimarães e Campo Verde no estado de Mato Grosso.

Parte desses produtores matem uma relação antiga com o SEBRAE, com atendimentos por projetos anteriores de produção agroecológica e/ou convencional. Como estratégia de fomento e fortalecimento dessa fidelização, o projeto promoveu reuniões para construção coletiva das ações e cronogramas de trabalho, além de buscar parcerias com as prefeituras municipais para redução dos custos de participação ao produtor e empresário. Para o público alvo a parceria com prefeituras, tem possibilitado a ampliação do atendimento sem custos ao produtor, haja visto os resultados obtidos em Nossa Senhora de Livramento.

Em função das oportunidades geradas a partir da certificação e das consultorias tecnológicas, os produtores tem investindo mais na produção buscando inclusive melhorias de pós colheita e a criação de embalagens, marca e mix promocional. Como sugestão, o projeto tem buscado consultores com conhecimento na produção de hortaliças especiais e flores comestíveis, abrindo assim um novo nicho de mercado aos produtores atendidos. A expansão do território de atuação, também tem sido estudada, principalmente pelo potencial de Mato Grosso para produção e extração de alimentos orgânicos.

Em parceria com as agências SEBRAE, no interior do estado, o projeto tem levado ações de sensibilização e promoção de produtos orgânicos, tendo alcançado bons resultados e grande aceitação.  A parceria com o projeto de Food Experience para capacitação e organização do segmento de alimentação e beneficiamento se mantem por meio de ações para melhoria da qualidade dos produtos entregues pelos fornecedores e no atendimento as demandas, reforçando os ganhos aos empresários e produtores.

Estratégias

A proposta de atuação do projeto SEBRAEBio consiste na retomada dos trabalhos desenvolvidos anteriormente, no setor de horticultura e produção orgânica, porém com uma abordagem ao longo da cadeia de valor, priorizando o atendimento aos pequenos negócios associados ao elo de produção e também beneficiamento, ou seja, produtores e agroindústrias. Em parceria com o projeto Food Experience, o projeto atuará no segmento de alimentação fora do lar, atendendo a seus fornecedores (hortifruti) e contribuindo para o aumento de demanda. Foram previstas várias capacitações e consultorias ao público alvo, produtores e empresários da área urbana, com a intenção de que estes ocorram num processo interligado e contínuo, de maneira a potencializar o segmento de Bioeconomia, contribuindo para o fomento, potencialização de novos empreendimentos e geração de trabalho e renda as famílias atendidas. Para tanto foram definidas como estratégias para esse projeto:

  • Desenvolvimento da gestão Empresarial: com a capacitação principalmente dos pequenos produtores para a gestão da propriedade e de suas áreas de produção. Entre as soluções aqui escolhidas o Programa no Campo, pela linguagem simples e objetiva.
  • Melhorias do Processo e Produtos: principalmente pela realização de consultorias tecnologias, estimulandor produtores rurais e empresários para o processo de inovação e uso de práticas sustentáveis visando o aumento da competitividade e melhoria da gestão dos pequenos negócios. Além do SEBRAETEC serão empregadas soluções do portfolio de sustentabilidade do SEBRAE, entre elas a Trilha de Sustentabilidade, desenvolvida pelo Projeto Brasil Central Agronegocio.
  • Ampliação e Participação no Mercado: além de dois estudos/ diagnósticos contemplando produção e potencial de demanda para os principais produtos orgânicos e/ou agroecológicos nas cidades trabalhadas, a proposta é utilizar o Programa Comercio Brasil, para intensificar os canais de comercialização, ampliando demanda e oferta, melhorando ainda o posicionamento dos pequenos negócios no mercado.

AGENDA & EVENTOS

•   Empório de Negócios - Fórum SEBRAE de Negócios 

•   Feira da Agricultura do Familiar

•   Empório do agricultor - Pantanal Cozinha Brasil

Gestora do projeto

 

Cynthia Regina da Silva Justino
Analista
Técnico no Sebrae-MT

Gestora do Projeto Bioeconomia.

TOPO