PISCICULTURA

A Piscicultura brasileira cresceu 8% em 2017, terminando o ano com a produção de 691.700 toneladas de peixes cultivados. Em 2016, o país havia produzido 640.410 toneladas, com aumento de apenas 1% sobre o resultado de 2015: 638 mil toneladas.

Já Mato Grosso, com produção em 2017 de 62 mil toneladas, teve aumento de 3,5% em relação ao ano de 2016 cuja produção foi de 59 mil toneladas. 

Por se tratar de um setor significativo para a economia, que contribui consideravelmente com o crescimento do país, há, por consequência, um aumento do nível de exigência em relação a estes produtos e serviços ligados à alimentação. O Estado de Mato Grosso apresenta grande potencial para crescimento devido à abundância de água doce, clima favorável e alta demanda de consumo interno e externo do Estado. Esta taxa de crescimento não ocorre pelas facilidades do setor, mas principalmente pela coragem e perfil empreendedor de toda cadeia produtiva.

A piscicultura é um segmento do agronegócio que não para de crescer e de se destacar. Em 2013, o Estado chegou a conquistar o primeiro lugar do ranking nacional de produção de peixes, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2016 o Estado, considerando a situação econômica apresentada no país, houve uma estabilização da produção gerada pela insegurança e dificuldade de industrialização do pescado já produzido em 2015, ficando em 60.946 mil toneladas perdendo apenas para o Estado de Rondônia que produziu 75.023 mil toneladas. Já em 2017, a insegurança de 2016 perdurou contribuindo para uma estagnação dos investimentos e redução da produção. Esta última foi evidenciada em função da dificuldade de identificar novos mercados ou da adequação para atender novos nichos ou se enquadrar ao perfil do atual consumidor. 

Mais de  2.000 piscicultores atuam no ramo, de acordo com INDEA e  Aquamat - Associação dos Aquicultores do Estado de Mato Grosso, empregando em toda cadeia produtiva mais de 4.000 trabalhadores.

Dessa forma com a atuação em cadeia é possível aproximar os produtores rurais, indústrias, comércios ligados a alimentação, serviços de armazenamento e transporte favorecendo todos os elos da cadeia. São oportunidades de aproximação comercial que devem ser observadas afim de levar em conta o comportamento do consumidor e assegurar uma rede de aprendizagem a todos os envolvidos no processo, a estratégia para se desenvolver ações que busquem novos mercados, assim como a implantação de agregação de valor para o pescado devem ser um desdobramento da atual conjuntura do mercado

 PÚBLICO ALVO

40 potenciais empresários, entre produtores, beneficiadores e fornecedores de insumos da piscicultura 

10 empresa de pequeno porte

150 microempresa

 Localizados nas regiões do Vale do Rio Cuiabá e do Araguaia (Confresa e região) no Estado de Mato Grosso.

Estratégias

  • As primeiras ações do Sebrae no apoio à piscicultura iniciaram na década de 90, com a editoração de livros e cartilhas, mas se intensificaram a partir da fundação da Aquamat – Associação dos Aquicultores do Estado de Mato Grosso. (Fundada no dia 15 de fevereiro de 2005 com o apoio do Sebrae)
  • Com a associação se organizando e ganhando novos membros, começaram a surgir demandas espontâneas por informações, capacitações e eventos direcionados à piscicultura.
  • Surgiu o grupo de compras coletivas de ração; os produtores que se reuniam e analisavam em laboratório as rações, as matérias primas, teor de nutrientes, digestibilidade, flutuação e outros índices, em prol da melhoria da qualidade dos produtos ofertados pelas fábricas. Assim, decidiam e tinham poder de barganha nos valores devido ao volume significativo de compra.
  • Em Mato Grosso a piscicultura é ainda uma atividade ‘’embrionária”, há muito ainda a melhorar quanto às tecnologias de produção, nutrição e qualidade do produto.
  • A governança se fortalece a cada dia, e o Sebrae tem papel fundamental no apoio ao desenvolvimento da cadeia produtiva.
  • Nosso papel tem sido de levar informações e conhecimento no âmbito de gestão, mercado, tecnologia, inovação e sustentabilidade. A atividade de piscicultura por ser uma atividade relativamente nova em nosso estado, tem passado por diversas mudanças das leis.
  • Inclusive, a Aquamat – associação dos Aquicultores de Mato Grosso por meio de seus gestores em parceria com o Sebrae, elaborou a lei 8464 de 2006 que dispõe sobre a atividade de piscicultura e que serve de modelo para os demais estados da federação.

RESULTADOS

• Produção de 62.000 toneladas 

• Mais de 2.000 piscicultores cadastrados no INDEA

• 7 fábricas de ração

• 10 frigoríficos

• Representatividade nacional da AQUAMAT - Associação dos Aquicultores do Estado de Mato Grosso, cadeia produtiva organizada e surgimento de novas associações e cooperativas de produtores no Estado de Mato Grosso

• Grupo de compras coletivas— diminuição do custo da ração,

• Grupo de análises qualitativa das rações

• Após o ano de 2013 o Estado de Mato Grosso chegou a ocupar as primeiras posições na produção de peixes

• Peixes com sabor agradável característico ao pescado fresco, padrão em relação ao formato e ciclo de produtivo 

• Peixes com teor de gordura adequado e bom rendimento de filé 

• Técnicos capacitados e envolvidos nos sistemas produtivos

• Rações balanceadas, com níveis de proteínas digestivas adequados por fase produtiva; rações extrusadas com diversas granulometrias e composições conforme necessidade nutricional dos peixes 

• Maior interação entre sistema produtivo x instituições de ensino com pesquisa aplicada, ex: UFMT e UNEMAT. Desenvolvimento de metodologias especificas de piscicultura pelo SEBRAE Nacional e Sebrae Mato Grosso.

• Peixe de piscicultura consolidado como produto sustentável e de alto valor agregado 

• Surgimento de novas peixarias e restaurantes de alto padrão com peixes no cardápio

• Politicas públicas para apoio à Normalização da produção de peixes com qualidade, legislação ambiental de incentivo ao pequeno produtor.

• Leis que favorecem os pequenos e médios produtores 

AGENDA & EVENTOS

•   Missão Empresarial Internacional - Benchmarking em Pisicultura - Puerto Montt/Chile - 02 a 09 de dezembro de 2018

 

NOSSOS CLIENTES

Com o trabalho do Sebrae pudemos melhorar muito a nossa produção e crescemos com isso! Participei de cursos, recebi consultorias e estive até em missão Internacional  no Chile em 2012”

Itamar Teodoro Borges


Produtor em Nossa Senhora do Livramento

“Parabéns pela condução dos trabalhos. Somente assim, aproximando toda cadeia produtiva e alinhando o assunto poderemos alcançar um objetivo e desenvolver o estado. O Sebrae é essencial para ajudar os produtores a obterem informações técnicas, mostrar a viabilidade econômica da cadeia e ainda ajuda os órgãos fiscalizadores com a educação sanitária aos produtores”


INDEA

Gestora do projeto

 

Valéria Pires
Analista Técnico no Sebrae-MT

Gestora do Projeto de Pisicultura.

TOPO